É só mais um dia de chuva, vai pra Redenção.

Sobre a distância, a famosa distância que atrapalha, ajuda, machuca, alivia, ESVAZIA…

X: Fácil falar.

Y: Fácil fazer.

X: Não acho.

Y: Por quê não seria?

X: Deixa.

Y: Domingo vou pra Redenção, lá  penso bastante em nós dois.

X: Acho que nos amamos de verdade, né?

Y: E o que se faz com isso?

X: Isso? Isso se chama amor, sentimento.

Y: Desculpa.

X: É, acho que vamos ter que jogar tudo ‘isso’ fora. Longe assim…

Y: Não, tudo vai se acertar!

X: Esquece, não deu.

Às vezes fico com saudade, de momentos que eu ainda não vivi.

É, Sophia responde.

Esteban – Sophia (Guria).

Sei que eu não vou ser o primeiro
E talvez não seja o último a falar
Por ter medo de te perder

Quero ver como tudo é la fora
Mas você ainda não me deixa entrar
Por medo de também querer

Sabe aqueles caras que hoje passam por aí
Eles me lembram outro cara que um dia eu conheci
Quando ele viu você não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que fizesse o coração parar…

Mas se eu fosse você, daria uma chance pra tentar…

Guria…
Guria…

Quero saber o que sente agora
Se ainda sonha ou continua a pensar
Que nada disso vai valer

Ainda não sabe me dizer direito
Se me deixa ou se me põe no peito eu sei
Tem medo de se arrepender

Sabe aqueles dias que nunca vão se apagar
Que os outros caras só queriam ocupar o meu lugar

Quando eu vi você, não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que iria me fazer ficar

E se eu fosse você daria uma chance pra voltar…

(Então me diz Sophia o que eu posso fazer ?
Pra te ter dentro da minha vida, e fora da minha TV!)

Quando você me ver, já sabe o que falar
Não tenha medo de dizer alguma coisa pra fazer a minha vida mudar

E quando eu ver você, queria uma chance pra ficar

Guria…
Guria…

que eu não vou ser o primeiro
E talvez não seja o último a falar
Por ter medo de te perder

Quero ver como tudo é la fora
Mas você ainda não me deixa entrar
Por medo de também querer

Sabe aqueles caras que hoje passam por aí
Eles me lembram outro cara que um dia eu conheci
Quando ele viu você não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que fizesse o coração parar…

Mas se eu fosse você, daria uma chance pra tentar…

Guria…
Guria…

Quero saber o que sente agora
Se ainda sonha ou continua a pensar
Que nada disso vai valer

Ainda não sabe me dizer direito
Se me deixa ou se me põe no peito eu sei
Tem medo de se arrepender

Sabe aqueles dias que nunca vão se apagar
Que os outros caras só queriam ocupar o meu lugar

Quando eu vi você, não soube o que falar
Por medo de ouvir uma resposta que iria me fazer ficar

E se eu fosse você daria uma chance pra voltar…

(Então me diz Sophia o que eu posso fazer ?
Pra te ter dentro da minha vida, e fora da minha TV!)

Quando você me ver, já sabe o que falar
Não tenha medo de dizer alguma coisa pra fazer a minha vida mudar

E quando eu ver você, queria uma chance pra ficar

Guria…
Guria…

Para mim, a história narrada por esse guri tem DOIS lados. Para mim, se a guria resolvesse responder esse cara afoito e ansioso, seria algo SIMILAR a isso:

Sei que você não foi o primeiro
Espero que não seja o último a falar
Sei que tem medo de me perder

Não te impeço de enxergar lá fora
E quem disse que eu não te deixo entrar?
Talvez eu ainda queira também..

Sei daqueles caras que passaram por aqui
Pareciam até um cara que um dia eu conheci
Quando ele me viu ficou até sem falar
Talvez minha resposta faria seu coração parar…

Se você fosse eu,  daria mesmo uma chance pra tentar?

Guri..
Guri..

Quer saber o que eu sinto agora?
Quem sabe eu sonhe ou continue a pensar
Que nada disso vai valer ou te fazer mudar

Sei muito bem te dizer direito
Se te deixo ou se te ponho no peito, eu sei
Não tenho medo de me arrepender..

Sei daqueles dias impossíveis de apagar
Que os outros caras adorariam ocupar o teu lugar

Quando você me viu, ficou até sem falar
Por medo de ouvir uma resposta que iria te fazer ficar

Se você fosse eu, daria uma chance pra voltar?

(Quem sabe um dia eu diga o que você pode fazer pra me ter dentro da tua vida e fora da tua TV!)

Quando eu te vejo, já sei o que falar
Não tenho medo de dizer alguma coisa pra fazer tua vida mudar

E quando você me ver, pensarei em te dar uma chance de ficar..

Guri..
Guri..

Depois disso, tudo que o guri tem a responder é:

Mas olha só pra você ficou horrível sem mim
Achou que ia arrasar mais de mil caras afim
Mas qualquer um pode ver que você é de mentira (que só eu mesmo acreditei)

(Fresno – Die Luge)

 

É, para mim faz sentido.

Não quero tudo que pode me dar.

Coisas DEMAIS me irritam. Conversa demais, silêncio demais, maquiagem demais, amor demais, paixão demais, ódio demais, ignorância demais, abraços demais, beijos demais, malícia demais, inocência demais…

Y: Agora que te larguei posso ficar com quantas eu QUISER.

X: Bah, legal pra ti ein..

Y: Mas nenhuma irá se igualar a você, nunca!

X: Tá.

Y: Por quê não acredita em mim?

X: Olha só o que tu vem me falar, o melhor é que tu fique quieto e deixe o ACASO nos levar.

Y: O acaso me trouxe até você.

X: Eu sei, e não entendo a razão dele ter feito isso… Só sei sofrer contigo.

Y: Eu te amo demais, te quero demais!

X: Eu só te curto, sem mais.

” Talvez eu ache algo mais forte, que faça eu me sentir melhor…”

Até perder toda esperança em você.

Quando não há mais a quem culpar, o laço se desfaz, lentamente, dolorosamente. O que era unido se rompe, e em questão de segundos o S de NÓS resolve sair de cena, sobrando, assim, apenas o NÓ, apertado, doído, que força lados opostos a ficarem unidos. O nó é cruel, não porque quer, mas por obrigar pólos a se juntarem. Quando o querer vira arrogância, favor e obrigação, correr atrás já não vale tanto a pena…

(Text message) :

Y: Se quiser falar mais alguma coisa, me encontre.

X: Espera que eu diga algo?

Y: Sim…

X: Depois de tudo que já disse e você não falou nada? Espera que eu diga MAIS? Pra quê? Nunca sou correspondida por ti. Se eu disser TE AMO ou TE ODEIO. Pra ti, dá no mesmo. Um “AHAM” ou um “TÁ” resolve tudo. Para de ser previsível guri!

Y: Ok.

X: Pensei que alguma coisa poderia mudar.

Y: O que?

X: Que não iria ser só isso, que tudo seria mais normal. Olha o jeito que tá me tratando. Não sei mais o que tu quer, mesmo.

Y: Te trato assim pra me afastar de ti. Tenho medo de te querer demais e, de repente, te perder.

X: Só uma coisa, melhor arriscar do que não fazer nada, perder…

Y: Esquece.

X: É só pedir que eu me afasto. Por incrível que pareça, eu sei entender as coisas. Só não sei como continuo acreditando em tudo isso.

Y: Tu sabe o  que fazer, tá contigo.

X: Dá pra me tratar de um jeito que dê o MÍNIMO de vontade de correr atrás, de novo?

Y: Desculpa.

X: Preciso ir, tchau.

Y: Espera…

X: …

 “Há um tempo atrás eu pensei que seria diferente, mas diferente é você não estar aqui.

I’ll be waiting right there, by the corner.

Guris alegam saber o que querem. Gurias decidem, mas não se permitem agir com o coração por medo de serem mal compreendidas. Gurias sentem. Guris escondem, porém, os dois usam o amor para viver, para sobreviver.

X: Oi.

Y: Atrasou.

X: Desculpa, não tive culpa.

Y: Tá.

X: Trouxe os CD’s que tu pediu…

Y: Obrigado.

X: Vamos ouvir?

Y: Não quero, agora.

X: Ok. O que vamos fazer agora?

Y: Não sei, pode ir já.

X: Tudo bem, deixa assim.

(4: 00h AM) Text message:

Y: Interprete o que te disse como: Estava louco pra te ver, não me importa o tempo que tu atrasou. Quero ouvir todos esses CD’S contigo, agora! Quero que fique comigo pra sempre.

(4:35h AM)

X: Por quê não fala estas coisas quando me vê?

(4:37h AM)

Y: Talvez seja o medo de te ganhar rápido demais ou de te perder lentamente.

(4:40h AM)

X: Não tenha medo de dizer alguma coisa pra fazer minha vida mudar…

Aparece, guri!

two is (really) better than one.

Não considero deixar de fazer coisas para si mesmo e fazer para os outros um ato de alguém BOBO, considero um ato gentil, mas me considero BOBA por ti. Cada frase tua me toca de alguma maneira, cada atitude tua me faz parar no tempo e refletir se me agrada ou não. Repito, SOU BOBA POR TI.

(Domingo, 16hrs)

Y: Oi.

X: Oi guri! Que voz é essa?

Y: Você não me liga, ninguém me liga, tô me sentindo só.

X: Sabe que pra ti eu to sempre aqui, né?

Y: Sei, mas você podia me mostrar que isso é de verdade,  aparecer mais, ligar mais…

X: Desculpa, posso tentar, por ti. Faço tanta coisa por ti.

Y: Eu te amo.

X: Eu também, e muito.

Y: Troquei tudo por você e não me arrependo.

X: Deixo de fazer tudo por ti e não me arrependo.

Y: O amor é louco. Sou louco por você.

X: Nós somos loucos, guri.

Y: Pensei que seria impossível achar alguém que aceitasse como sou de verdade, só pensei.

X: Sei MUITO bem como tu é: Tem manias lindas, é engraçado, chora por quem ama, não fala muito o que sente, conquista todos (as) que deseja, não estuda, brinca, quer ser cuidado, sabe cuidar, é cheiroso, tem os melhores carinhos, a voz linda, o melhor cabelo, o melhor estilo e o melhor coração que eu pude me alojar, me sinto confortável e em pleno equilíbrio contigo.

Y: Não fala mais nada, desculpa qualqer coisa, te quero pra sempre!

X: E aí, vamos nos ver?

Y: Agora! Naquele NOSSO lugar?

X: Tinha que estudar, mas deixo de fazer isso por ti.

Y: Te pego em meia hora!

X: Não pode ser em dez minutos?

Y: Meia hora, beijo, até mais.

X: Tchau…

Sei que não posso controlar o tempo
Tão pouco posso controlar meus sentimentos
Mas fico feliz, só de te ver
Palavras certas podem consertar um erro
Mas são os erros que fazem as palavras,
Viverem para sempre”

(O Destino – Nxzero)

É, posso dizer que tu me faz gostar até de bandas que NÃO gosto. Te amo. Gatasso.

Quando foi que você decidiu pensar por mim?

Tu. Chega de fingir, de brincar, de me atrair. Já deu de tentar me mudar, de tentar me parar.

Te quero mas não te quero, podia me ajudar, parar de me procurar. Cresce guri, tenta aparentar pelo menos metade da tua idade, vire algo decente! MAKE A MOVE!

( 00:35 h – Wbar )

X: Alô.

Y: Oi!

X: Ah, oi..

Y: E ai, fazendo o que de bom?

X: Passeando com as amigas nessa noite fria, tu sabe que eu gosto de sair pelos arredores quando está frio, não sabe?

Y: Sei, e não gosto disso, posso ir aí?

X: O show ao vivo já acabou, só tem meninas aqui. Já pedimos a conta, desculpe..

Y: Vocês podiam esperar um pouco, mas tudo bem, fica pra uma próxima..

X: É..

Y: Boa noite, até  mais.

X: Te amo.

Y: Não me esperou.

X: Mas te amo..

Y: Não, não ama.

X: Lá vem você com as adivinhações incertas.

Y: Lá vem você com as atitudes erradas.

X: Erradas pra ti, certas pra mim.

Y: Tchau!

_

Ai, guri, tu some, aparece e me enlouquece (no bom e no mau sentido), só me fala o que tu quer, um abraço ou um adeus, não consigo adivinhar e muito menos esperar suas decisões que me atingem como um  punhal nas costas.

“Então escolha, de que lado vai jogar
Pois ao meu lado está sobrando um lugar
Ele é seu
Eu sou seu”   
(Quando Crescer – Fresno)

Previous Older Entries Next Newer Entries