Breve resposta para a música Livre (Banda aBRIL).

Quando eu me libertar?  Irei correr para perto de ti, tu me faz sorrir. E não, não há erros, sei que deixarei ótimas memórias com quem nunca me deixou partir, mas tive que ir até o seu mundo, ir até você.

Há razão para chegar, mas não sei se ainda há tempo para esquecer, quando não puder me levar, me siga, me ame, me trate bem… Pode vir em minha direção, venha aonde estou. Tu nunca irá morrer em vão, o fato da tua existência já é muito significante para mim e para quem nunca te deixou partir.

E esse novo caminho que tu afirma ter irá mesmo me livrar de tanta ilusão? Pois eu tenho medo de começar a viver. Não estou aonde quero estar, por isso durmo para tornar a sonhar ou me isolo para criar o meu próprio ‘mundo-perfeito’ .

Os outros somos nós?

 Infuência… A responsável por mudar completamente o sentido da sua opinião. Ela é traiçoeira, ameaçadora e de vez em quando torna sua vida um inferno. Cabe apenas a nós decidir se queremos ou não ser influenciados…

Y: Então é isso?

X: É, e não pense que estou feliz.

Y: Fui o único que chorei…

X: Sim, tu SÓ chorou, já eu, estou sangrando por dentro, e já faz um bom tempo.

Y: Não acredito.

X: Eu sei, e não há nada que eu possa fazer.

Y: Se ficasse do meu lado iria ser mais feliz.

X: Não é o que todo mundo me dizia.

Y: Mas é o que eu estou te dizendo!

X: Eu também não queria que fosse assim, te amo muito. Tu sabe disso.

Y: Mas tu escolheu assim e não há mais nada a dizer. Boa sorte. Te amo.

X: Na verdade, não fui eu que escolhi, os outros me fizeram escolher, foi sem pensar e só agora percebi o que fiz.

Y: Mas as palavras saíram da sua boca, não da boca do outros. Agora já foi.

X: É, já foi…

Nem desistir, nem tentar, agora tanto faz.

Definição de PALAVRA: Uma palavra ou vocábulo é uma unidade da linguagem falada ou escrita. As palavras podem ser combinadas para criar frases. O termo palavra deriva originalmente do grego parabolé, tomada emprestada pelo latim, que gerou parabola. Pronunciar uma palavra é evocar um pensamento e manifestá-lo.

Y: E aí, por onde tu anda?

X: Na verdade, sem ti não ando saindo muito. Continuo no mesmo lugar. E tu?

Y: Sinto a mesma coisa.

X: Será que a gente fez a escolha certa?

Y: Quem escolheu isso foi tu.

X: Posso falar que me arrependo do que escolhi pra nós?

Y: Só não vem falar que é minha culpa.

X: Tá bom. Quando você vem?

Y: Chego aí no final do ano.

X: Vem me ver?

Y: O que tu acha?

X: Na real? Acho que tu não vai quer me ver por medo de pensar que também tem culpa por estarmos assim agora, teu orgulho é grande guri, tuas palavras me machucam, tuas atitudes mais ainda.

Y: Achou errado.

X: Será?

Y: Não posso ser tão mau assim a ponto de te machucar como tu fala.

X: Tenta lembrar dos teus momentos de ira comigo, quando conseguir, tenta se colocar no meu lugar. Depois disso me conte as conclusões que conseguir absorver de tudo isso, orgulhoso.

(silêncio)

X: Desligou?

Y: Não, pensei.

X: Hãn?

Y: Me desculpa? Te falei coisas horríveis, agi como não devia, e a única conclusão que posso tirar disso tudo é que sem ti eu não sei o que fazer, não sei como agir, não sei nem o que falar. Te amo.

X: Depois de tanto tempo ouvindo as injustiças que tu gritava ao telefone, eu espantei meus demônios, e agora palavras não me afetam tanto, tu não me afeta tanto. Só não afirmo que o nosso amor acabou pois quando vejo nossas fotos (que mostram atitudes, não palavras) lembro do guri que eu realmente me apaixonei.

Y: Vai ver que eu também tenho um pouco de culpa nisso tudo.

X: É, vai ver que tem…

Y: Mas te amo.

X: Ah sim, ok. Vou tentar sair um pouco, tchau.

Y: …

Palavras apenas

Palavras pequenas

Palavras, momento.

A arte de errar, o erro de recuar.

Chega de mentiras, você não tem razão, ponto final. Todos nós erramos, mas tu nem começa a tentar por medo de errar, por medo de sentir, por medo de mim, por medo de me machucar…

X: O que tu tem aí?

Y: Nada!

X: Deixa eu ver, é pra mim?

Y: Não.

X: Ah, número de outras como eu.

Y: Como tu não, tu é diferente.

X: Diferente?

Y: Eu sinto algo por ti, te quero de verdade!

X: Me quer tanto que tudo o que tu tem na mão agora é o número de todas as gurias do bairro. Como me quer ein!

Y: Tenho medo de te ter nas mãos. Não sou capaz de te fazer feliz.

X: Como tu sabe que não é capaz?

Y: Eu acho que não sou.

X: Mas tu nem tentou. Quero que saiba que quando te vejo me sinto a pessoa mais feliz do mundo, você me conforta.

Y: Não sou responsável o bastante pra cuidar de ti, olha só a minha vida como anda, guria!

X: Quem sabe eu seja responsável o bastante pra arrumar tua vida.

Y: Se arrumar a minha, estraga a tua.

X: Não! Chega de recuar guri, enfrenta o que te espera, tenta ser feliz. Olha pra quem te ama…

Y: Ninguém me ama.

X: Quando parar de dar passos negativos e pensar em quem vive só pra te ter, me avisa, boa noite.

Y: …

So I set out to cut myself and here I go.

I’m not calling for a second chance,

Give me reason but don’t give me choice.

e onde voce estiver…

Sempre me lembrarei daquela noite, na minha cabeça ela se
repete todo o dia. De todos e de tudo TU foi o mais
memorável.
Eram lá pras 23:45h quando vejo saindo na maior rapidez
possível para dentro de um polo cinza (carro do Mi da banda
Gloria, eu acho) o guri que eu admiro da cabeça aos pés,
internamente e externamente. Quando ele fechou a porta do
lado passageiro do carro eu entrei em choque, pensei que não
teria a mínima chance de me aproximar e tocá – lo. Parei e
pensei: “Como? Fiquei uma hora e meia esperando ele sair e
agora tudo vai acabar? Não, não, eu não vou desistir assim!”
Com isso, corri desesperadamente até o polo cinza, olhei para
o Rodrigo e ele sorrindo abriu o vidro, foi onde começou a ”
conversa”:
– Boa noite!
– Oi Tavares, você lembra de mim? – disse eu tremendo e não
acreditando em tudo que estava acontecendo.
Ele não me respondeu, mas pegou minha mão, apertou e me
ofereceu sorrisos encantadores por um tempo, logo, ele disse:
– Desculpa, tenho que ir agora…
Minha vontade era tirá-lo daquele carro e abraçá-lo o mais
forte possível, mas sei que eu não poderia. Visto isso, puxei
ele pra mim, senti o perfume extremamente bom dele e dei
um beijo, no rosto, de 1 minuto. Logo após ele soltou a
minha mão, sorriu e tudo que eu pude dizer foi:
– Tchau, Tavares.
Ele, sempre sorrindo, disse:
– Beijo, beijo! Tchau, boa noite, guria!
E assim ele foi para a casa jogar vídeo game, e eu fui embora,
mais realizada do que nunca.
É, o guri de 28 anos, tatuado, cheiroso, cheio de estilo e com
a voz rouca encantadora, consegue, sem dúvidas, mudar meu
jeito de ver a vida. Sempre que puder, eu seguirei teus
passos, mestre.

“Não pare de sorrir nunca mais…”

Separate ways.

Cadê você na minha vida? Cadê os nossos planos sendo concretizados? Cadê aquele ânimo de quando tudo havia começado? Cadê você?

X: Vai me encontrar onde?

Y: Não vou te encontrar hoje.

X: Mas já faz tempo que não nos vemos.

Y: Eu sei.

X: Te vejo até em lugares que não existem.

Y: Louca…

X: …Por ti.

Y: Deixei meu maço de cigarros  na tua casa?

X: É, o acaso me deixou tão só…

Y: O quê?

X: Nada, não deixou nada aqui. Não tem nada teu.

Y: Tem tu, tu é minha.

X: Não quero ser tua hoje, não mais.

Y: Mas tu sempre fala que é minha.

X: Eu sei. Resolvi mudar, essa noite me pouparei um pouco das inúmeras doses de ingratidão que recebo de ti.

Y: Não entendo.

X: Na hora de assumir teus erros tu nunca entende, até mais.

Y: Onde tu vai, guria?

X: Tenho tanto pra viver, e essa noite acabou de começar. Terei uma ÓTIMA e RENOVADA vida de solteira! E sabe qual é o melhor? Não preciso da tua companhia para isso, durma bem com teus queridos cigarros, guri.

Quando cheguei em casa havia me arrependido do que tinha feito, mas tenho um BAITA orgulho e APRECIO muito uma boa vingança, portanto, dormi melhor do que NUNCA.

 

“Eu vou te esquecer, nem que for… Só por uma noite.”

Love can change anything?

Mudanças causam medo, curiosidade, pavor, temor. Pior, mudanças são DRÁSTICAS e DRAMÁTICAS. Queria mudar…

X:  Oi!

Y: Oi, vai fazer algo hoje?

X: A minha rotina de sempre, e tu?

Y: Não tenho rotina, vivo um dia de cada vez, vou mudar meu cabelo.

X: Ah, você sempre muda.

Y: Dessa vez vou cortar bem diferente. E eu não mudo sempre.

X: Tu vive de mudanças, muda de casa, de estilo, de humor, até teus amores tu vive mudando…

Y: Meu sentimento por ti nunca muda.

X: Ah, muda sim, e muito. Ontem tu queria ser meu amigo, hoje tu já diz que me ama e que quer ficar só comigo. Queria conseguir mudar meus sentimentos assim também.

Y: Isso é diferente.

X: Não é. Tchau.

“Só quero olhar pra frente e esquecer você.”

Previous Older Entries